Bambuterapia

BAMBUTERAPIA BAMBOO MASSAGE

O Bambu é uma gramínea com mais de mil espécies diferentes no mundo, bastante resistente, reproduzindo-se por sementes ou mudas, não requer plantio. Na atualidade diante das preocupações com o meio ambiente que comprometem a continuidade da humanidade, o Bambu é o foco das atenções por ser considerado produto ecologicamente correto, sendo renovável, 100% aproveitável, durável e adaptável aos mais diversos locais e ambientes.

Lições do bambu

– o bambú se enraíza bem fundo antes de crescer fora da terra – cinco anos para a semente sair da terra – paciência e determinação. Paciência advém da sabedoria e da convicção que estamos certos. Confiar no processo e não no resultado…a vida sabe o que é melhor, mas não necessariamente é o que desejamos.

– o bambu cresce reto e satisfeito com o seu espaço. Retidão e suficiência. Suficiência como suficiente. Suficiente tem a ver com SER. Basta SER o que sou e não buscar na minha insuficiência algo que não sou!

– o bambu é uma planta muito simples. Simplicidade é uma grande conquista.

– o bambu tem divisões que garantem a resistência. Essa segmentação permite a flexibilidade dos limites. Elas são limites, porém garantem que o bambu não quebre. Limites garantem longevidade…sem limites tudo acaba logo.

– o bambu curva-se no vendaval. Se não se curvar, quebrará…aproveitemos o vendaval para nos levar a novos lugares e desafios.

– a maior qualidade do bambu é ser oco! Senão, seria rígido, complexo…e nada de novo seria acrescentado.

Aplicabilidades do Bambú

O Bambu atualmente é considerado a madeira do futuro pelas suas aplicabilidades nas áreas de:

  • Decoração
  • Construção
  • Gastronomia
  • Artesanato
  • Têxtil
  • Terapia
  • Papel
  • Carvão
  • Adubo
  • Implementos agrícolas
  • Ração
  • Bebidas
  • Bicicleta
  • Instrumentos musicais

Porquê o Bambú

Pela sua flexibilidade, força, energia, durabilidade, textura, densidade, resistência e principalmente possibilidades de adequação e adaptação por serem encontrados na própria natureza com tamanhos e espessuras variáveis.

Material adequado

O Bambu como material terapêutico deve ser o mais liso possível, principalmente na região dos nós para proteção e conforto do cliente assim como não muito pesado para proteção do terapeuta.

O material pode ser preparado por meio de diversas técnicas: simplesmente lixado e seco, queimado com maçarico, queimado na terra, seco no vapor e outros mais.

Às vezes os nós e entrenós ao longo do bambu não necessariamente precisam ser totalmente retirados, pois suas alterações naturais podem auxiliar no processo da massagem.

Origem do método

Este método foi criado pelo francês GILL AMSALLEN trazido ao Brasil por seu aluno direto, o alemão HORST GUTBROD.

A técnica baseia-se no deslizamento de bambus de diferentes espessuras ao longo do corpo, percorrendo toda extensão dorsal e ventral finalizando no rosto. O Bambú atua como prolongamento dos dedos atingindo áreas que muitas vezes com os dedos não conseguimos atingir, atuando de maneira mais abrangente e precisa.

Procedimento

Inicialmente deve ser realizada a preparação do cliente, posicionar adequadamente e iniciar o procedimento:

aplicação de óleo por toda a extensão corporal dorsal

deslizamentos por toda a extensão utilizando o próprio braço do terapeuta

iniciar deslizamentos longitudinais, primeiramente com o bambu mais grosso e reduzindo a espessura adequando às partes do corpo

Uma sessão de Bambuterapia tem duração de cerca de uma hora

INDICAÇÕES

  • Relaxamento muscular
  • Redução de celulite
  • Modelar silhueta
  • Ativação da circulação
  • Drenagem linfática
  • Bem estar pessoal

CONTRA-INDICAÇÕES

  • Tumores
  • Cardíacos graves
  • Processos inflamatórios
  • Trombose
  • Dermatites
  • Estado febril
  • Infecção cutânea

ATUAÇÃO SOBRE O ORGANISMO

Influência direta e indiretamente sobre:

  • sistema muscular
  • sistema neurovegetativo
  • nutrição celular
  • oxigenação dos tecidos
  • desintoxicação de tecido intersticial
  • velocidade no transporte da linfa
  • filtração e reabsorção dos capilares sanguíneos
  • capacidade dos capilares linfáticos